O irmão do chefe de milícia Danilo Tandera foi morto em uma ação da Polícia Civil neste sábado (20), em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. Delson Lima Neto, o Delsinho, era a segunda pessoa na hierarquia da milícia chefiada pelo irmão. Dados da inteligência da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas (Draco) indicam a possibilidade de envolvimento de Delsinho no desaparecimento dos quatro jovens de Nova Iguaçu na última semana.

Além de Delson, outros membros do grupo paramilitar também foram mortos na ação realizada pela Draco e pela Coordenadoria de Recursos Especiais (Core). Os homens foram identificados como Fofo — terceira pessoa na hierarquia —, Neguinho e Tizil — seguranças dos irmãos Delsinho e Tandera. Também foram apreendidos quatro fuzis, granadas, pistolas, fardas e coletes.

Segundo a Polícia Civil, a operação, que teve apoio da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD) e da 56ª DP (Comendador Soares), foi realizada após um trabalho de inteligência que durou oito meses. As investigações apontam para a suspeita de que o sítio às margens do Rio Guandu, onde os integrantes da quadrilha foram encontrados, tenha sido o local utilizado para a execução dos quatro jovens sequestrados no bairro Cabuçu. Os corpos teriam sido jogados no rio.

Na última terça-feira (16), a Polícia Civil também prendeu, em Nova Iguaçu, Nicolas de Oliveira Teixeira do Nascimento, conhecido como Derick. Segundo a polícia, ele também faz parte de uma milícia ligada a Danilo Tandera que atua na região. As investigações apontam que Nicolas era o responsável por extorquir comerciantes do bairro Valverde.